sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Braços-de-ferro


Falo. Escutas falando.
Calo. Me apertas o calo com teu silêncio.
É um jogo. Um embate. Um combate. 
Mares revoltos, silhuetas recolhidas em oposto.
Engulo o desgosto. Penso no teu gosto. 
Arranca-me os braços.
Impeça-me de abraços.
Arranca-me os olhos.
Epilético balé de almas
Sua química, meu feitiço,
Sua física, meu espírito.
Indissociáveis. 
Insolúveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário