terça-feira, 19 de abril de 2016

Ironia

É ironia, mas duvido que alguém se ria.

Começa com a loiça na pia, e a constatação de que tudo aquilo durará mais que eu. 
Talvez seja porque naquele momento, trato com zelo as panelas, preocupada com o Teflon, para que não lhes grude nada. 
Mas, quem se preocupa que não me grude à pele o efeito do desgosto?
O cristal das taças, que me é tão caro, precisa ser acarinhado: - Deus a livre de um deslize meu! 
E quem me livra dos deslizes teus?
Uma porção de cuidado e lá estão os talheres, brilhantes, organizados, a seus lugares; ao passo que eu não consigo sequer preservar o brilho do seu olhar.

Vontade de quebrar tudo. Inclusive esse desespero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário